Não compre pela capa

E é exatamente disso que vou falar hoje. Aquilo de “não julgue pela capa” ? Então, eu resolvi fazer isso. Resolvi comprar livros pelas capas/títulos porque achei bonito, fofo etc li a sinopse (e interpretei outra coisa) e eis que me decepcionei! Chateada por ter gastado dinheiro com livros que nem curti, que esperava mais, que no meio dele ficou chato. E hoje vou citar alguns que comprei e não gostei, talvez você goste, quem sabe:

1.Como eu era antes de você

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

A capa é linda né ? A sinopse também, mas não se engane, o livro não é lindo desse jeito que você tava pensando. Eu o comprei numa época que estava afim de ler romances, príncipes, cavalos brancos rsrs me dei mal.

2.Destrua este diário

“Wreck This Journal’ é um livro ilustrado que contém uma perturbadora coleção de tarefas que pedem aos leitores que juntem suas melhores habilidades em erros e bagunças para completar as páginas do livro (ou destruí-las). Através de uma série de criativas e ilustradas tarefas, Keri Smith quer encorajar seus leitores em atos “destrutivos” – deixando buracos em páginas, adicionando fotos e estragando-as, manchando páginas com café, pintando fora das linhas e mais – com o objetivo de experimentar o verdadeiro processo criativo. Através da sensibilidade de Keri, leitores são introduzidos a uma nova maneira de fazer arte, descobrindo maneiras de escapar do medo de páginas em branco e entrando completamente no processo criativo. 

Adorei o título. A capa. A proposta do livro. ,Mas foi chegando um momento em que as coisas proposta não faziam parte do meu cotidiano aí eu sempre esquecia, ia fazer no dia seguinte e esquecia de novo, até que parei numa parte aí (ainda pretendo terminarr). Talvez você consiga ir até o fim!

3.Princesa Adormecida

Era uma vez uma princesa… Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim…

Achei que seria mais legal, mas não desenvolve muito os diálogos é meio bobo e superficial. Você não se apega, sei lá, não curti. (Como eu disse antes, tava numa onda de comprar livros de romance e esse é bem bobo e a estória é pequena )

4.A parisiense 

Quais são os segredos do bom gosto parisiense? Ines de la Fressange – ícone da elegância na França – conta o que aprendeu sobre estilo e beleza durante décadas de experiência na indústria da moda. Ela dá conselhos de como se vestir com o encanto das parisienses e sugere um guarda-roupa a partir de apenas sete itens básicos e bons acessórios, que garantem produções práticas e elegantes. Suas fontes preferidas para verdadeiros achados e soluções de vestuário, beleza e decoração – disponíveis on-line e em Paris – são acompanhadas por fotografias de moda, nas quais a modelo é sua filha, e por desenhos assinados pela própria Ines. Esse guia inclui endereços da Paris secreta da autora: hotéis, restaurantes, spas, lugares fora do circuito turístico oficial e uma seção feita sob medida para a diversão das crianças. Escrito com humor e verve, em colaboração com a jornalista de moda da Elle, Sophie Gachet, A parisiense é o roteiro fundamental para conhecer os endereços mais charmosos da capital francesa.

Então eu estava loka por esse livro e era bem caro, até que um belo dia na Saraiva e tchâmmm metade do preço esse era meu dia, pensei eu. Vai dizer que a capa não é super linda ? Ok, fui ler achei que fossem sessões bem divididas: moda, decorações e o tal turismo. Mas aí que mais da metade do livro é merchan das lojas. Fiquei bem chateada, serve só pra enfeitar a estante agora… Mas você que quer conhecer Paris (viajar) é uma boa pedida!

5.Cidades de Papel

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Resolvi comprar por ser do tal John Green. Li a sinopse e adorei, e o livro é bem legal mesmo, até certa parte. Depois dessa certa parte ele começa um drama, mas um drama sem fim e desnecessário. É tão irritante esse drama, que ele só acaba no fim do livro. Mas você pode gostar, quem sabe, ele tem 4,1 de pontuação no skoob (eu dei 2).

Então esse foram os livros que não achei tão bons quanto a capa.

E você tem algum que não achou isso tudo ? Me conta!

beijos ❤